image1 image1 image1

Música: uma forma artística além das aparências

Por Ana Lívia Monção e Carina Nardi

Ana Lonardi é uma cantora que encantou o Brasil e deu destaque à musica e ao talento da mulher gaúcha. Seu prestígio no cenário musical, conquistado após a participação no programa da Rede Globo The Voice, se solidificou com a produção de um documentário sobre a profissão de musicistas, o Arte das Musas?.

“Eu queria fazer algo que viesse quebrar esse gesso que nos reveste no discurso social, onde o maior elogio que uma mulher pode receber é ser capa de revista, magra e modelo de beleza”, disse a cantora. Então, surgiu a ideia de produzir um documentário em curta-metragem sobre mulheres musicistas e que vivem esta profissão. “O objetivo foi buscar, através de um meio alternativo, depoimentos e imagens de 15  mulheres que mesmo tendo uma profissão que é dominada por homens, conseguiram fazer trajetórias excepcionais, que servem de encorajamento para futuras gerações de mulheres”, lembra. 

A cantora ressalta que o machismo é uma realidade comum no meio musical. "Por isso iniciativas como esta são importantes para confrontá-lo e modificar este cenário desigual, que não oferece o mesmo tratamento e oportunidades às mulheres", constata.

Foto: Daniela Calleya Barcellos/Divulgação

Segundo o Dr. em Ciências da Comunicação, Álvaro Benevuto, a comunicação alternativa tem diversas formas de expressão, como o documentário produzido pela artista, e tem como propósito a abertura e expansão cultural ao público, com temas que não ganham espaço ou destaque nas grandes mídias. Para Benevuto, essas manifestações ocorrem com pequenos grupos que se relacionam e se organizam em prol a uma causa ou ideal, com o objetivo de trazer simpatizantes. E destaca ainda, que este tipo de comunicação é essencial para a construção da democracia e que incita o público a refletir acerca das mudanças sociais propostas.
 
Ana explica que a mensagem principal do curta-metragem é que somos sujeitos, não importa o gênero, o sexo e a profissão, e capazes de transmitir conceitos artísticos relevantes. "Mulheres são muito mais que seus corpos, sua aparência ou vida sexual. A música é universal e também um instrumento de amor, luz e evolução”. 

Ela reitera que a imagem é um instrumento de comunicação e pode contribuir para dar sentido a uma estética musical no palco. Contudo o poder da música deve superar o figurino, o gestual. “Todo mundo quer ver o artista bem apresentável no palco, porque o palco é um espelho. O público se vê ali. Entretanto a música toca as pessoas mesmo no escuro, mesmo sem as belezas da imagem. Para mim é a forma de arte mais espiritual e transcendental que existe”, constata.

O documentário a Arte das Musas? é também, de acordo com a idealizadora, uma tentativa de investir na arte em um país despreparado para educar musicalmente seus cidadãos. “A música requer muito estudo, muita dedicação e muita escuta. É uma construção subjetiva muito profunda que não se faz em pouco tempo, nem sem uma estrutura mínima. O Brasil não tem musicalização séria nas escolas”. Ela lembra ainda, que não há um número suficiente de professores de música para assumirem essa demanda na educação básica, os baixos salários também não incentivam e há pouca estrutura como acesso à instrumentos musicais. “Além disso, nos falta cultura musical, hábito de ir a shows e concertos, para além daqueles ditados pela mídia”.

Para cantora, a melhor parte de ter produzido o documentário foi descobrir que assim como ela, outras mulheres estão se aprimorando, estudando sempre mais, para tocar o próximo com arte musical. “Elas têm uma missão e buscam concretizá-la.” Ela pretende continuar usando a mídia alternativa para auxiliar na quebra dos estereótipos de gênero. “O que as pessoas não entendem é que se você desrespeita uma mulher, está desrespeitando um homem também, porque está reforçando os estereótipos masculino e feminino que aprisionam a todos nós”.

Foto: Nilton Santolin/Divulgação

Participaram Luiza Prohmann (contrabaixista), Mônica Tomasi (cantora), Juliana Villalba (trombonista), Viktoria Tatour (oboísta), Helena Nunes (violinista), Simone Rasslan (cantora), Lúcia Passos (cantora), Bethy Krieger (pianista), Ana Kruger (cantora), Bibiana Petek (cantora), Carmen Corrêa (cantora), Gabriela Bock (violoncelista) e Vanessa Uflacker (cantora). O filme reuniu um time de musicistas que tocam erudito, MPB e jazz. A Arte das Musas? foi um lançado no dia 30 de março de 2015, com direção de Tiago Trindade e roteiro de Ana Lonardi.

 

joomla templatesfree joomla templatestemplate joomla

Blue Flower

2018  Lado B   globbers joomla template